doar

Financie pequenos agricultores e empresários

Postado em Atualizado em

Às vezes, tudo o que uma pessoa precisa é de um pequeno empurrãozinho financeiro para começar seu negócio. Algo da ordem de R$ 5 mil ou até mesmo R$ 500,00 para comprar suprimentos e montar uma lojinha. O que acontece é que muitas vezes esses micro micro agricultores ou empresários ao redor do mundo não têm sequer uma conta no banco, que dirá acesso a crédito na praça.

É aí que surgiu o microcrédito, um conceito que surgiu na Índia e tem como objetivo dar esse voto de confiança inicial que essas pessoas precisam.

Mas e você com isso? Você agora pode colaborar emprestando dinheiro para as companhias de microcrédito. Funciona assim: você entra no site da Kiva e escolhe um projeto para financiar. As quantias variam, mas é possível começar com 25 dólares. A Kiva empresta esse dinheiro para um empresa de microcrédito local e quando a quantia desejada for atingida, esse dinheiro é emprestado para o pequeno agricultor ou comerciante (a maioria dos projetos estão na África ou países mais pobres da América Latina). Quando o agricultor conseguir fazer seu dinheiro render, ele paga o empréstimo de volta e você também recebe o seu dinheiro de volta.

E então pode financiar mais um projeto e fazer tudo girar novamente.

Financie quem você acredita

Postado em Atualizado em

Conseguir financiamentos para projetos sociais é um problema. Apesar de a bondade ser difundida pelo país como algo positivo, nenhuma empresa ou investidor está disposto a liberar a grana sem ter algo em troca. Para quem tem pequenos projetos então, a missão parece impossível.

Mas existem agora ferramentas na internet (sempre ela!) que permite que pessoas como eu ou você financie pequenos projetos. Uma delas é o site Catarse. Na química, catarse é o elemento ou o processo que tem a função de acelerar uma reação. E é essa bem a função dessa iniciativa: fazer ideias bacanas decolarem.

Eu ajudei um projeto que se chama “A Fantabulosa Caixa de Livros“, uma coletânea de livros infantis que falam sobre meio ambiente. Em qualquer um dos projetos, você pode ajudar sem esperar nada em troca, ou pode escolher um “prêmio” pela sua doação. Caso a meta não seja atingida dentro do prazo, você recebe o dinheiro de volta para aplicar em outras iniciativas do site.

Bacana, não?

A história por trás do Creative Commons

Postado em Atualizado em

Você sabe o que é Creative Commons? Já ouviu falar de Copy Left? E de licença livre?

Esse videozinho é muito bacana de assistir e pode te dar respostas a essas questões:

Salve Darfur, pelo menos no mundo virtual

Postado em Atualizado em

Você já imaginou como seria viver como refugiado? Ter que deixar sua casa, talvez sua família e seus amigos para tentar sobreviver em um campo de refugiados onde tudo é escasso. O jogo Darfur is Daying (Darfur está morrendo) tenta mostrar esta dura realidade que se passa com os habitantes de Darfur, uma região no oeste do Sudão, na África. Em guerra civil desde 2003, mais de 400 vilas da regigião foram completamente destruídas. A estimativa é de que mais de 300 mil pessoas morreram no conflito, três vezes mais do que no recente terremoto no Haiti. A ONU estima que 4,7 milhões de homens, mulheres e crianças foram afetados pelo genocídio.

Quando a coisa fica preta no jogo, eles pedem medidas reais. Uma área no site permite que você faça doações, aprenda mais sobre o conflito e até mesmo mandar uma mensagem para o governo norte-americano. Para quem quiser mais informações sobre os eventos, os melhores sites são em inglês. Um  deles é o Save Darfur.

Todos por um

Postado em

Juntos fica possível

Em Divinópolis, cidade do interior de Minas Gerais, no dia 7 de outubro, mais uma criança nascia no hospital São João de Deus. Era uma menina, que aos poucos revelou que não era como as outras. Yasmin nasceu com catarata congênita bilateral, um tipo raro de doença que pode deixá-la cega. Existe cura, que é uma cirurgia que custa de R$ 5.000,00 a R$ 8.000,00.

A quantia é impossível de ser paga pela mãe, que tenta desesperadamente marcar o procedimento via saúde pública. O pior é que o bebê tem que ser operado em até três meses, ou passará a vida no escuro.

Esse podia ser apenas mais um caso, daqueles que aparecem na TV. Mas dessa vez alguém decidiu ajudar. Alguns amigos de Belo Horizonte viram a notícia no jornal e decidiram arrecadar o dinheiro a tempo para Yasmin fazer a cirurgia. Montaram um blog, o Juntos Fica Possível e iniciaram uma vaquinha on-line.

Pra mostrar que a internet é só uma ferramenta. A diferença está em quem usa.

Doe comida com um clique!

Postado em Atualizado em

Responda às perguntas e doe comida!
Responda às perguntas e doe comida!

No mesmo estilo do Free Kibble Kat, o Free Rice tem como foco as pessoas.

Tudo o que você tem a fazer é responder a uma questão de múltipla escolha. Se acertar, doa 10 grãos de arroz para o Programa de Alimentação das Nações Unidas.

É bacana, que você pode ir juntando tigelas e mais tigelas de arroz. A parte ruim é que você só doa quando acerta. Mas como as questões se repetem, dá pra aprender um pouco também.

O quiz é em inglês, e traz sinônimos de palavras. Algumas fáceis pra quem entende a língua, outras difíceis.

Fica a dica!

Plante uma floresta com alguns cliques

Postado em Atualizado em

iniciativa_verde
Calcule emissões de CO2 no site A Iniciativa Verde.

Com todo esse comércio de créditos de carbono entre países, fica difícil saber qual é a nossa parte no assunto. Afinal, o que eu tenho a ver com a emissão de CO2 no mundo?

Mais uma vez, a internet nos salva. No site A Iniciativa Verde, você fornece alguns dados, como quantidade de kms que anda de carro por mês, consumo de luz, ou se fez alguma viagem de avião, e eles calculam quantas toneladas de CO2 você joga por mês no mundo.

E o mais bacana é que eles não param por aí. Na mesma conta já mostram também quantas árvores você tem que plantar para compensar suas emissões, uma espécie de comércio de carbono seu com o mundo.

Então tá  ok. Tenho que plantar 3 árvores pra compensar minhas 0,42 toneladas de CO2. Pego minha pá, minhas mudinhas e sigo para o canteiro mais próximo. É claro que as coisas não são tão simples assim. Para se plantar em áreas públicas da cidade é preciso ter autorização da prefeitura. Além disso, uma muda ou árvore pequena precisa de manutenção para sobreviver.Sem falar na preguiça de enfiar o pé na roça.

Minha floresta particular no Click Árvore.
Minha floresta particular no Click Árvore.

É aí que já existe uma solução. No próprio site dA Iniciativa Verde, você pode comprar mudas, que eles plantam num lugar bacana e preservado. Cada muda custa cerca de R$ 15,00. Mas se você não está afim de liberar essa grana para a natureza, tem uma alternativa melhor ainda.

O projeto SOS Mata Atlêntica tem um site parecido, o Click Árvore. Com a diferença que lá você pode “plantar” árvores só com um clique, sem pagar. O financiamento é feito por patrocinadores, que aparecem nos anúncios. Lá também tem a opção de “floresta paga”.

Para quem acha que vai completar a mata atlântica em uma hora, é bom avisar que há um limite de um clique por dia. Mesmo assim dá pra avançar. Já restaurei 408 m² de mata atlântica com 68 árvores.