Diários de Bicicleta #1

Postado em Atualizado em

cc by vrogy
cc by vrogy

O Tombo.

Minha bicicleta chegou a alguns dias, e assim que surgiu um tempinho, lá fui eu pra cima da magrela. Para não arriscar uma queda espetacular na frente de um caminhão, fui praticar em uma praça, afinal, faz bem uns 13 anos que não subo em cima de uma bicicleta.

Passei numa bicicletaria para encher o pneu, e dar uma olhada se estava tudo ok, e já descobri um incoveniente: minha bicicleta dobrável e o meu fusca são incompatíveis. O porta-malas simplesmente é pequeno demais para colocar ela dentro. A solução foi andar com ela no banco traseiro, e como o fusca só tem duas portas, e o banco do motorista não está dobrando pra trás, foi um pouco trabalhoso.

Vencida essa etapa, lá fui eu pra praça. Me equilibrar em cima da magrela não era tão difícil quanto eu pensava. Afinal, não dizem que andar de bicicleta a gente nunca esquece? Tomei impulso e comecei a pedalar. Logo estava sentindo o vento no rosto e aquela sensação de liberdade. Ia cada vez mais rápido, livre, nada poderia me impedir! Até que… ops! Senti um puxão na minha perna direita. Olhei pra baixo e vislumbrei o pior: minha calça tinha ficado presa na corrente! Sem outra alternativa, freiei, e sem conseguir tirar o pé do pedal, lá fui eu com bicicleta e tudo pro chão.

Não seria uma estréia sem um tombo não é? Aprendi a lição nº 1: se for andar de calça mais larga em uma bicicleta, leve um alfinete para prender a barra da calça, ou ande de short mesmo.

Ah, e água, é claro, é sempre bem-vinda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s